Home Office

O home office é a nova forma de trabalhar

Saiba como as empresas se adaptaram a essa nova maneira de trabalhar e o que será do futuro dos escritórios.

O home office, que existia como uma opção de flexibilização de trabalho, precisou ser adotado entre as empresas por conta da pandemia do novo coronavírus.

E, se a sua empresa também precisou se adaptar à essa nova forma de trabalho, nós vamos conversar um pouco mais sobre o home office.

Conhecendo o home office

Como o próprio nome diz, o home office é o trabalho feito de casa. O formato já existia em algumas profissões e atingiu seu auge em 2018, com 3,8 milhões de brasileiros trabalhando em casa, segundo dados do IBGE.

Foi uma maneira que as empresas que já trabalhavam de forma digitalizada encontraram para manter o negócio funcionando e seus funcionários em segurança.

Essa alteração repentina na rotina de trabalho trouxe algumas dificuldades para as empresas como, por exemplo, ajustes, recursos para os funcionários e organizar toda a sua operação à distância.

O home office e o mundo digital

Quando conversamos sobre os novos hábitos de consumo e como o “novo normal” se instalou no mundo todo, batemos na tecla do digital.

Com isso, a adaptação das empresas para o home office fez com que elas percebessem que seus consumidores também estariam em isolamento social e passariam a comprar de forma online. Sendo assim, tiveram que tomar algumas atitudes para alcançar o público e manter as vendas ativas:

Presença na internet

Para serem encontradas por seus consumidores, a presença das empresas em sites e redes sociais aumentou. Dessa forma, o relacionamento com os clientes se mantém, assim como a exposição de seus produtos e serviços.

Investimento em Marketing Digital

Não adianta ter redes sociais e sites se não há nada sendo feito para que o público receba as novidades sobre os produtos e serviços. Sendo assim, investir em estratégias de marketing e bons conteúdos foi mais uma maneira encontrada pelas empresas para se manterem ativas.

Vendas online

Não apenas as empresas que já trabalhavam com esse formato aproveitaram para se reinventar e aumentar o número de vendas, como também as que não trabalhavam. Elas se viram na obrigação de aderir ao formato para não terem prejuízos. Uma pesquisa realizada pelo SEBRAE mostrou que 48% das empresas que apostaram em serviços na internet e delivery tiveram crescimento na receita durante a crise.

Nova rotina de trabalho

Nós sabemos que o retorno ao trabalho será totalmente diferente no pós-quarentena. Só para exemplificar, empresas como Google, Twitter e Facebook já anunciaram que irão prolongar o home office de seus funcionários após o fim da pandemia.

Algumas empresas brasileiras aderiram ao prolongamento e deixarão nas mãos dos funcionários a escolha entre continuar em casa ou ir até o espaço físico das organizações para trabalhar. Um estudo feito pela Cushman&Wakefield, enviado ao InfoMoey, mostrou que 40,2% das empresas de São Paulo e do Rio de Janeiro, que não trabalhavam com home office, vão adotá-lo como forma definitiva de trabalho quando esse período passar.

Entretanto, existe, ainda, a opção de criar turnos ou intercalar as equipes entre trabalho em home office e presenciais, com novos escritórios que respeitam as medidas de segurança e de saúde para os funcionários. Essa opção tornou-se uma tendência, como mostra um relatório da FGV em parceria com organizações que analisam o mercado de trabalho. O estudo apontou que 30% das empresas que adotaram o trabalho home office durante a pandemia, irão mantê-lo por, pelo menos, um dia na semana após o isolamento acabar.

Os motivos para a manutenção do modelo de trabalho de home office são variados:

– Percebeu-se um aumento na produtividade dos funcionários;

– Houve uma diminuição no tempo gasto com deslocamento;

– As empresas tiveram uma redução de custos;

– A facilidade de encontrar e utilizar ferramentas de comunicação em grupo;

– O estresse entre os funcionários diminuiu;

– Garantia de mais segurança para com a saúde dos funcionários. Essas mudanças na forma de trabalhar, sendo apenas home office ou intercalando com o trabalho presencial, incluem alguns itens a serem pensados pelas empresas como: questões trabalhistas, recursos de trabalho para os funcionários e adaptação dos novos espaços.

Adaptação é a palavra de ordem

Sendo assim, mesmo quem não é muito fã do trabalho home office precisará se acostumar e as empresas terão que se adaptar, usar plataformas de comunicação a distância, além de preparar o seu espaço físico, caso optem por intercalar formas de tralho.